Nutricionista do GEN no ‘Prêmio Ser Humano’ 2016

Trabalho ganha certificado especial de participação



A nutricionista Madalena Maria Ribeiro Marques, membro do Grupo Executivo de Nutrição (GEN) desde 1986, participou da 36º do Prêmio Ser Humano Oswaldo Checchia edição 2016, realizado pela Associação Brasileira de Recursos Humanos do Rio de Janeiro – ABRH-RJ.  

Madalena – que também é Analista Nutricionista da Casa da Moeda do Brasil (CMB), onde é responsável pela elaboração, desenvolvimento, implantação dos projetos de Políticas de Alimentação, Nutrição e Saúde da instituição – integrou a equipe da CMB que, através do Comitê Pró Equidade de Gênero e Raça, apresentou na Categoria Organizacional do Setor Público o Case Gestão da Diversidade, pautado em ações desenvolvidas na 5ª edição do Pró-Equidade de Gênero e Raça, sendo que o “Programa Nutrivida”, com as Políticas de Alimentação e Nutrição deram sustentação para o sucesso do case apresentado. 

Este, ficou entre os três finalistas da categoria e foi agraciado com o certificado especial de premiação, o reconhecimento do mercado e a visibilidade na mídia.

O Programa Nutrivida


O Programa Nutrivida foi lançado em outubro de 2011 como um benefício de acesso à todos os(as) empregados(as) por adesão voluntária ou por encaminhamento médico. É uma política de alimentação, nutrição e saúde da CMB, elaborado de acordo com as diretrizes da Política Nacional de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, e propicia ações estratégicas que apoiam os (as) empregados (as) quanto à atenção nutricional, através de diferentes práticas voltadas à prevenção, promoção, recuperação da saúde e controle dos agravos nutricionais.

A finalidade é despertar a reflexão e percepção crítica da realidade do perfil de nutrição e saúde dos empregados, sensibilizando para a importância de seu papel como agente de sua própria mudança, nas escolhas de alimentação e estilos de vida mais saudáveis. Compõe-se por projetos independentes, mas que se complementam e cada um com suas especificidades de atividades, a saber: 

Projeto Nutrigestante – Nutrição e Saúde da Mulher na Gestação e Puerpério, com encontros realizados por Nutricionistas, Médicas, Psicólogas e Fisioterapeutas.
Projeto Mãe Trabalhadora que Amamenta – Sala de Apoio à Amamentação, com este projeto a CMB ganhou do Ministério da Saúde o título de Empresa Amiga da Amamentação.
Projeto de Segurança Alimentar, Nutricional e Sustentabilidade
Projeto de Vigilância Alimentar e Nutricional
Projeto Pesquisa, Inovação e Conhecimento em Alimentação e Nutrição
Projeto Desenvolvimento de Materiais Educativos / Interventivos
Projeto Circuito Caminhada – Movimento para a Saúde
Projeto Eventos de Promoção e Prevenção da Saúde

Objetivos:

Propiciar ações preventivas e interventivas, individuais e coletivas,
Estimular a troca de experiências,
Construir conhecimentos para a alimentação, saúde e bem-estar.

Para desenvolvimento das atividades, há parcerias internas e externas: 

Conselho Regional de Nutricionistas (CRN),
Fundação Osvaldo Cruz (FIOCRUZ)
Grupo Técnico de Alimentação e Nutrição da Secretaria Estadual de Saúde (GTAN/SES/RJ),
Faculdade Bezerra de Araujo (FABA)
Grupo Executivo de Nutrição (GEN)
FIRJAN – SESI/Cozinha Brasil

O Nutrivida tem como propostas:

Contribuir com a saúde e bem estar, redução do absenteísmo e aumento da produtividade,
Ampliar o agir da Atenção Nutricional – “Comer bem para viver melhor”,
Dar mais assertividade às atitudes quanto ao estilo de vida, incentivando a reflexão, 
Apoiar na tomada de consciência sobre as questões da atenção nutricional.


Prêmio Ser Humano 2016


Instituído pela ABRH-Brasil em 1993, o Prêmio Ser Humano Oswaldo Checchia se consolidou como instrumento de valorização das melhores iniciativas dedicadas ao desenvolvimento das pessoas dentro e fora das organizações, assim como de estímulos ao pensamento criativo e identificação de novos talentos.

O nome do Prêmio é uma homenagem a Oswaldo Checchia, um dos fundadores da ABRH-Brasil e grande articulador para o reconhecimento da área de Recursos Humanos como estratégica nas organizações.


Madalena Maria Ribeiro Marques

Nutricionista formada pela Uerj e Membro do GEN desde 1986; 
Analista Nutricionista da Casa da Moeda do Brasil (CMB);
Conselheira Vice – Presidente do Conselho Regional de Nutricionistas– 4ª Região /CRN-4
(2010 a 2013); 
Mestre em Ciências da Saúde e Meio Ambiente pela UNIPLI; 
Especialista em Saúde Pública pela  Universidade Estácio de Sá;
Especialista em Gestão em Saúde Materno Infantil pela ENSP/FIOCRUZ;
Especialista em Dietética Energética Chinesa pelo Instituto de Acupunturado RJ;
Atua também no Comitê de Pró Equidade de Gênero e Raça, criado em 2012 com o objetivo de fortalecer as Políticas de Equidade nas relações de trabalho.


GEN 2017 - Vagas abertas para novos integrantes






O GEN- Grupo Executivo de Nutrição está com 10 vagas abertas para novos integrantes em 2017. Venha fazer parte do nosso grupo e conheça nosso trabalho! 

Nosso encontro será dia 19/12 às 16h, na Avenida Barão de Tefé, nº 7, 2º andar - Saúde - Rio de Janeiro ( próximo ao Hospital dos Servidores do Estado).

Confirme a sua presença por email: grupoexecutivodenutricao@gmail.com 

Leitura do Mês


Autismo Esperança pela Nutrição - Histórias de Vida, Lutas, Conquistas e Muitos Ensinamentos



Este livro narra a história de vida e as conquistas de uma mãe que encontrou na Nutrição o caminho para melhorar a qualidade de vida e a saúde de seu filho.

Claudia Marcelino é mãe de Mauricio, hoje com 25 anos de idade. Aos cinco anos de idade, o autismo começou a se manifestar e Mauricio foi diagnosticado como autista. A partir de então, foram iniciados os tratamentos, e Claudia, mergulhou fundo no conhecimento do Autismo encontrando na Nutrição e em preparações alimentares um caminho para melhorar ou alterar de forma positiva a qualidade de vida, o comportamento e a saúde de seu filho. 

O trabalho de Claudia é referência e case, em Faculdades e Escolas de Nutrição, e em Pós Graduação em Nutrição Funcional. O livro inclui receitas desenvolvidas, criadas, coletadas, produzidas e testadas com resultados surpreendentes. Inclui ainda ensinamentos sobre os alimentos, suas adequações e qualidades nutritivas. 

Conversamos com a autora para conhecer um pouco mais sobre a sua história que se transformou nesse livro de sucesso. Confira:

GEN: Em que momento você percebeu que a Nutrição poderia ser uma aliada no tratamento do Autismo? 

Claudia: No ano de 2006, eu comecei a ter contato com a internet e descobri os grupos de pais no antigo Orkut. Muitos falavam sobre a dieta sem glúten e sem caseína e as melhoras que ela trazia para o autista. Meu filho nesta época tinha 15/16 anos e o autismo bastante agravado com a adolescência. Até então, ele tinha seguido seu tratamento com medicações e terapia, mas seu comportamento e sua saúde vinham se deteriorando a ponto de começar a babar involuntariamente e nunca ter parado de fazer xixi na cama, ou ter ciclos de insônia. Não tinha nada a perder. Uma mudança na sua alimentação não ia deixá-lo pior e não era um tratamento invasivo ou perigoso. Se não conseguíssemos resultados satisfatórios era simplesmente voltar aos hábitos de antes. Então fui estudando, pegando todas as dicas com as mães e me enchendo de informações e coragem para mudar. Até que iniciamos em 2007 com a nova dieta.

GEN: Qual foi a fase mais difícil nessa adaptação alimentar? Por quê?

Claudia: O início sempre é complicado. É a fase de não conhecer muito a dieta, onde comprar os alimentos, o que comprar, é uma época também de ter que explicar diversas vezes para a família que isso ou aquilo não pode e porque não pode, de enfrentar a resistência de todos e falar, falar e falar que um pouquinho ou só um pedacinho faz mal sim. Na minha época também a oferta de produtos sem glúten e sem leite era muito menor e não eram saborosos, tanto que precisei cozinhar e aprender a fazer muita coisa para que sua adaptação fosse melhor e então acabou surgindo o livro, para orientar outros pais e para que eles não passassem pela falta de orientações e condições práticas  que eu passei. No livro está tudo reunido desde o porquê, para quê e como fazer a dieta, informações que, na minha época, tive que ler centenas de sites e grupos de discussões para obter.

GEN: E a mudança mais positiva? 

Claudia: A mudança inicial mais positiva foi ter o seu olhar vivo e brilhante de volta no primeiro ano da dieta. Com o tempo, o olhar do meu filho foi ficando completamente apático, sem vida, longe, um estilo dopado e perdido e isso me angustiava muito. Depois, vieram mais concentração, menos agitação, mais tempo centrado e sem crises. Com isso, veio mais aprendizado e uma melhora enorme na qualidade de vida dele e da família. A vida social por incrível que pareça, melhorou muito, pois ficou mais fácil sair com ele para todos os lugares, coisa que já não fazíamos mais devido ao seu comportamento agitado.

GEN: Qual a sua dica para os responsáveis por crianças autistas que desejam iniciar o processo de uma dieta alimentar como a sua proposta? E como o livro pode ajudar?

Claudia: A minha dica é para se encherem de coragem e força. As dificuldades centrais e periféricas do autismo podem ser bastante suavizadas. Mudanças na alimentação de uma forma geral são bastante complicadas para todos, mas também são necessárias e bastante positivas. Quanto mais cedo, melhor, mas isto não impede de fazer mudanças e ter ganhos em qualquer fase da vida. Vale muito à pena pelo menos tentar por seis meses e avaliar os ganhos na saúde, no comportamento, no cognitivo e na socialização. Estes ganhos podem vir em blocos ou de forma isolada. Qualquer avanço em uma destas áreas é super positivo, pois são demorados de serem conquistados. O que costumamos ver é que uma dieta correta e saudável, apoia os ganhos terapêuticos e as crianças acabam avançando mais e mais rápido. Qualquer família pode começar apenas com o apoio de informações do livro e depois conseguindo um nutricionista para suporte e avanço no tratamento nutricional, fica melhor ainda.

Vendas através do email: autismoemfoco@gmail.com  ou pelo facebook 


Ceia de Natal para Diabéticos

Como a Nutrição pode prevenir a doença


Uma em cada 11 pessoas no mundo são diagnosticadas com diabetes, e 422 milhões de indivíduos vivem com a doença, que quase quadruplicou em pouco mais de três décadas, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).  

O diabetes — doença crônica que ocorre quando o pâncreas não produz insulina suficiente ou quando o organismo não a utiliza de forma eficaz, aumentando a concentração de glicose no sangue — é a principal causa de cegueira, problemas renais, ataques do coração, derrames e amputações. Sua prevenção passa por uma nutrição equilibrada, que ajuda no controle de peso e na manutenção de uma dieta balanceada.  Segundo o chefe da ONU, Ban Ki-moon, "se as pessoas puderem controlar o nível de glicose e da pressão sanguínea, vão poder reduzir os riscos".

Festas Natalinas: "Qualidade da caloria é mais importante do que quantidade"


As preparações nessa época do ano trazem um sabor mais agridoce, sendo um alerta para os diabéticos. Comidas típicas como rabanada, panetone, pavês entre outros, são alguns dos pratos difíceis de resistir.  Para ajudar àqueles que sofrem com a doença a encarar essa missão, o GEN conversou com a nutricionista funcional Alessandra Almeida, que explica: 

“Atualmente, a qualidade da caloria tem um impacto maior na nossa saúde (não somente para os diabéticos) do que a quantidade delas. Um produto ou alimento pode conter poucas calorias mas já ser o suficiente para gerar uma alteração metabólica no organismo. No caso dos diabéticos, uma alteração glicêmica. O ideal é usufruir de uma ceia com boa qualidade nutricional, ou seja, ausente de açúcares simples como açúcar branco, maltodextrina, xarope de glicose, xarope de milho e gordura hidrogenada. Uma dica simples é conter no rótulo o mínimo de ingredientes possível”. 

Adaptando o cardápio 


Mas como adaptar o cardápio para unir sabor e saúde? A experiente profissional esclarece: “Frutas secas — com exceção do damasco — como figo, ameixa, banana passa, tâmara, frutas em calda, como pêssego, abacaxi, cereja, e até as frutas in natura e sucos devem ser evitados por conterem alto teor de açúcar, colaborando para aumentar a glicose no sangue e, consequentemente, a insulina. Substitua o arroz branco pelo integral ou por outros grãos, como lentilha ou grão de bico, fonte de proteína vegetal e fibras. Na farofa, acrescente amaranto ou farelo de trigo para reduzir o índice glicêmico da farinha de mandioca. As oleaginosas (castanhas, nozes, avelã, macadâmia, amêndoas) também ajudar a reduzir o índice glicêmico das refeições. Para o prato principal: Galetinho com chutney de damasco. E para o acompanhamento, sugiro uma farofinha funcional. Na sobremesa, um mousse de chocolate com avelã está liberado!”. 

Confira as receitas e modo de preparo!

Prato Principal

Galetinho com chutney de damasco

 Ingredientes
1 galetinho de frango
2 xícaras de chá de vinho branco
2 colheres de sopa cheias de tomilho
1 colher de sopa cheia de erva desidratada à gosto
4 dentes de alho amassados 
Sal e pimenta do reino a gosto

Chutney 
10 unidades de damasco cortados. Mergulhe na água por 30 minutos para hidratar. 
1 colher de sopa de suco de limão 
1 xícara de café de vinagre de maçã
1/2 xícara de chá de vinho branco 
2 colheres de sopa de cebola fatiada 
1 dente de alho picado 
1 colher de chá de cravo 
1 pau de canela 
Pimenta do reino à gosto

Modo de Preparo 

Chutney: Numa frigideira, misture o vinho com vinagre e o limão. Acrescente a cebola e o alho. Aos poucos e após dois minutos, vá adicionando os demais ingredientes. Por último, acrescente o damasco com a água que foi hidratada. Deixe cozinhar por 30 minutos até ficar no ponto de geleia. Acrescente água sempre que for necessário.

Frango: Deixar marinar com todos os ingredientes por 12 horas. Assar no forno médio por 20 a 30 minutos com papel até que fique bem cozido. Retirar o papel para terminar de dourar. Sirva em fatias com o chutney de damasco.

Acompanhamento

Farofinha funcional

Ingredientes
1 xícara de chá de farinha de mandioca
½ xícara de chá de amaranto em flocos
½ xícara de chá de farelo de trigo
½ cebola cortada em rodelas
3 colheres de sopa de cenoura ralada
2 colheres de sopa de alho poró fatiado
1 colher de chá de açafrão
2 c. de sopa de azeite
Sal e pimenta à gosto

Modo de Preparo 
Refogar a cebola no azeite, em seguida o alho poró e a cebola. Adicionar o açafrão e a cenoura. Por último, as farinhas. Mexer até obter uma cor dourada. Ajustar sal e pimenta. Servir.

Sobremesa

Mousse de chocolate com avelã

Ingredientes
2 bananas verdes quentes e cozidas
200ml de água
150g de chocolate 70% (não precisa ser o diet, a banana verde cozida já reduz o índice glicêmico desse chocolate)
2 colheres de sopa de óleo de coco
150g de avelã

Modo de Preparo 
Tostar as avelãs no forno por 10 a 15 minutos. Picar ou triturar em pedaços menores e reservar. Bater todos os ingredientes no liquidificador, menos a avelã que foi triturada, por 5 minutos. Misturar a avelã triturada em separada com uma colher. Levar à geladeira por 3 horas para resfriar. Servir com morango (fruta de baixo índice glicêmico) e avelã triturada por cima.

(*) Como cozinhar a banana verde: Higienizar as bananas bem verdes, com casca, na água. Em seguida, colocar numa panela de pressão e cobrir com água ocupando o dobro da altura da banana. Assim que der o ponto de pressão, cozinhar por 8 minutos. Desligar o fogo e deixar a panela esfriar. A banana verde cozida pode ser congelada por 3 meses ou ficar na geladeira por 7 dias.





Alessandra Almeida é graduada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Pós graduanda em Gastronomia Aplicada à Nutrição e Colaboradora do livro "Trocas Inteligentes" de Sonja Salles. Trabalhou como Nutricionista da Clínica de Nutrição Andrea Santa Rosa Garcia e atua como Personal Diet levando saúde e bem estar aos seus clientes.

Instagram: @alessandraap


Leitura do Mês

Fitoterapia Contemporânea - Tradição e Ciência na Prática Clínica 



Indispensável a todo profissional da área da saúde que deseja se conectar às novas tendências e aprimorar seu atendimento clínico, esta obra oferece informações científicas sobre as características de cada planta medicinal e sua recomendação para cada tipo de paciente, o que possibilita maior segurança no momento da prescrição. 

Esta segunda edição apresenta um texto totalmente revisado com base em pesquisas recentes, projeto gráfico modernizado e diversas atualizações, entre as quais se destacam: número ampliado de monografias – 15 novas espécies –, últimas descobertas no campo da fitoquímica e farmacologia, e material suplementar online com atualizações sobre as modificações nas legislações de fitoterápicos vigentes no país, tabela com os medicamentos fitoterápicos registrados na Anvisa, bem como orientações para pesquisa eficaz na internet sobre o tema fitoterapia.

Sobre os autores

Glaucia de Azevedo Saad é médica pela Universidade Gama Filho (UGF) com residência em Medicina Preventiva e Social pela Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca da Fundação Oswaldo Cruz (ENSP/Fiocruz). Especialista em Acupuntura pelo Colégio Médico de Acupuntura (CMA). Coordenou o Ambulatório de Fitoterapia do Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria (CSEGSF/Fiocruz) de 2002 a 2006. Professora do Curso de Fitoterapia do Instituto Brasileiro de Plantas Medicinais (IBPM) de 1999 a 2005 e do Instituto Hahnemanniano do Brasil (IHB) de 2007 a 2008. Membro da Associação Brasileira de Fitoterapia (Abfit).

Paulo Henrique de Oliveira Léda é farmacêutico pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Mestre em Ciências Biológicas (Farmacologia e Terapêutica Experimental) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Integrou a equipe do Programa de Fitoterapia da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS/RJ) de 1996 a 2006. Tecnologista em Saúde Pública pelo Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos) da Fiocruz. Colabora, desde 2006, com a equipe do Programa de Extensão Permanente Farmácia da Terra da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Doutorando do Programa de Pós-graduação em Biodiversidade e Biotecnologia pela Rede Bionorte. Membro do Conselho Diretor da Associação Brasileira de Fitoterapia (Abfit).

Ivone Manzali de Sá é farmacêutica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Fundadora e Diretora Técnica da Farmácia Caminhoá Homeopatia de 1990 a 2004. Diretora do Instituto Brasileiro de Plantas Medicinais (IBPM) de 2000 a 2005. Professora do Curso de Fitoterapia do IBPM de 2000 a 2005. Mestre em Etnobotânica pelo Museu Nacional da UFRJ. Pesquisadora Associada do Museu Nacional da UFRJ. Doutora em História das Ciências e da Saúde pela Casa de Oswaldo Cruz da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Curso de Ilustração Botânica pela Escola Nacional de Botânica Tropical do Jardim Botânico do Rio de Janeiro (ENBT/JBRJ) e pelo Royal Botanical Gardens Kew.

Antonio Carlos Seixlack é médico pela Faculdade de Medicina de Petrópolis com residência em Clínica Médica e Gastroenterologia. Especialista em Acupuntura pela Associação Médica Brasileira (AMB) e Colégio Médico de Acupuntura (CMA). Professor do Curso de Fitoterapia do Núcleo de Fitoterapia do Instituto de Acupuntura do Rio de Janeiro (IARJ) de 1999 a 2000. Professor do Curso de Fitoterapia do Instituto Brasileiro de Plantas Medicinais (IBPM) de 2001 a 2004 e do Instituto Hahnemanniano do Brasil (IHB) de 2007 a 2008. Consultor da Área Técnica do Programa de Plantas Medicinais e Fitoterapia da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS/RJ) desde 2009. Membro do Conselho Diretor da Associação Brasileira de Fitoterapia (Abfit).

Onde encontrar: http://bit.ly/2fw8JYw 

NutriGEN 2016 - Tudo sobre a 11ª edição do evento

 GEN comemora 30 anos com um show de experiência profissional 

11ª edição do NutriGEN

Comemorando 30 anos de existência, o Grupo Executivo de Nutrição (GEN) levou para o seu evento anual – NutriGEN –, quatro profissionais de primeira linha, com décadas de experiência.

Em tarde agradável, foram debatidos os segredos para uma carreira de sucesso, tendo como mediadora a jornalista Shanna Faria Honório que, no estilo talk show, provocou em dois blocos as quatro participantes, convidando-as a falarem sobre as suas experiências: Cynthia Howlett Martin, Virgínia Nascimento, Adélia Chaves e Teresa Cristina Ribeiro da Silva Caldas.

A partir da esquerda: Ceci Santiago, Virginia Nascimento, Cynthia Howlett e Beatriz Serpa 

Fechando o evento, foi a vez do coach Rodolfo Santos mostrar como é possível potencializar uma carreira e alcançar o sucesso.

Rodolfo Santos interage com a plateia

O que elas disseram


Ceci Santiago, presidente do GEN

A presidente do GEN, Ceci Santiago, abriu o 11º NutriGEN, dando as boas vindas a todos os presentes e agradecendo publicamente os fornecedores, com destaque para os dois patrocinadores, Associação Brasileira das Empresas de Refeições Coletivas (Aberc) e Fazenda Verde, que participam desde a primeira edição do evento. Ceci enfatizou que o grupo nasceu querendo ser referência em nutrição e complementou: “Não somos ousados, somos abusados”.



Cynthia Howlett no NutriGEN 2016

O primeiro bloco formado por Cynthia Howlett e Virgínia Nascimento, abordou a nutrição clínica. Formada em jornalismo e nutrição, Cynthia sempre foi adepta da vida saudável. Durante anos trabalhou na Globosat/GNT apresentando programas voltados para a saúde e bem-estar, como ‘Alternativa Saúde’ e ‘Perdas e Ganhos’. 

Atualmente, com Beatriz Serpa, desenvolve o projeto Mito-VIE que integra nutrição e atividades físicas e tem como objetivo aperfeiçoar o funcionamento das mitocôndrias, que entre outros benefícios aumenta os antioxidantes e melhora o funcionamento dos neurônios, ricos em mitocôndrias, que produzem energia para todas as atividades celulares.

Sobre a atuação do nutricionista clínico, Cynthia destaca: “Iniciamos a relação com os nossos clientes ouvindo o que eles têm a falar, depois avaliamos os dados clínicos e sua história alimentar. Somos favoráveis à interdisciplinaridade, à troca de informações e ao monitoramento do cliente em conjunto com outros profissionais da saúde.”

Virgínia Nascimento, presidente do CRN-4, palestra sobre sua experiência

Virgínia falou sobre suas quatro décadas de experiência como nutricionista clínica, além da sua atuação como docente e atual presidente do Conselho Regional de Nutrição 4ª Região (CRN4). Apontando os momentos mais importantes para a profissão, ela ressaltou sua regulamentação (1967), criação dos conselhos federal e regionais (1978), estabelecimento das diretrizes curriculares dos cursos (2001) e o reconhecimento pelo Capes da Nutrição como área de pesquisa (2014).

Acreditando que a profissão está perdendo espaço nas esferas municipal e estadual, em função do fechamento de alguns órgãos especializados, Virginia informou que naquele exato momento conselheiros do CRN4 estavam debatendo em diferentes lugares ações para fortalecer a categoria. 

Um conselho: “Para ser uma boa profissional corra atrás de uma educação continuada, fique próxima às instituições de ensino superior e às associações de classe”, finalizou, lembrando que chegou à diretora do Instituto de Nutrição Josué de Castro – UFRJ. Aposentada, intensificou os serviços do seu consultório particular, onde mantém uma cozinha experimental: “Realizei meu grande sonho.”


Adélia Chaves, do portal NutriNews 
O segundo bloco contou com a presença de Adélia Chaves e Teresa Caldas, sendo a primeira formada em administração de empresas e técnica de nutrição, e a segunda polivalente, formada em nutrição e com várias especializações: gestão empresarial, RH, negociação, análise de mercado, controle de qualidade e marketing.

Adélia começou trabalhando em hospital e restaurante de coletividade, mas depois, buscando desacelerar, uniu o útil ao agradável ao criar um ‘jornalzinho’ que em pouco tempo foi transformado na vitrine do foodservice brasileiro.

A Revista e Portal Nutrinews é atualmente apenas a ponta do iceberg de uma profissional que não temeu empreender. A empresa faz eventos, viagens profissionais, mantém um guia de fornecedores e, sua diretora, ainda atua no mercado de coletividade na área operacional e consultoria de projetos especiais em alimentação.

Para ela, o empreendedorismo está dentro da maioria das pessoas esperando ser iniciado. Citando Bernard Shaw, dramaturgo, romancista, contista, ensaísta e jornalista irlandês, ela diz: “Você vê as coisas como são e pergunta: por quê? Eu sonho com as coisas que nunca existiram e pergunto: por que não?”

Para Adélia, empreender é enfrentar riscos e acreditar nos seus resultados: “Você só acerta se você faz. E se você erra, você aprende. O empreendedor é aquele que estabelece estratégias para o sucesso de um empreendimento”, afirma.

Teresa Caldas, à direita, fala sobre sua polivalência

Foi assistindo uma palestra sobre profissões que Teresa Caldas escolheu a Nutrição. Começou na área de dietoterapia em hospitais, mas bateu de frente com os demais profissionais de saúde, que desrespeitavam a nutrição utilizando práticas que ela discordava.

Há anos trabalha em concessionárias, servindo uma alimentação saudável: “Tenho muito orgulho disso. Foi nestas prestadoras de serviços que aprendi muita coisa e me sinto realizada.”

Para crescer na área escolhida – atualmente é diretora de Operações da Masan Serviços Especializados – Teresa se mantém atualizada sobre os mais variados assuntos:  impostos, contribuições, recursos humanos, marketing, varejo etc. “RH sempre foi um ponto forte em minha carreira, trabalhar com indivíduos é difícil, não existe um que seja igual ao outro, o que faz a diferença é transformar a sua equipe em um time, um grupo coeso, que você confia. Meu sucesso está em me atualizar constantemente e formar times.”

Sua vida é o seu melhor case

Rodolfo Santos explica sua fórmula para o sucesso

De auxiliar de serviços do Banco do Brasil, aos 16 anos, à coach de sucesso, Rodolfo Santos já foi tudo nesta vida, inclusive teve o selo da Globo, empresa onde trabalhou por 18 anos, tornando-se imprescindível e subindo degrau a degrau.  Inicialmente sem entender nada da área, chegou a gestor do setor de cabelo e maquiagem.

Formado em administração de empresas, com MBA em marketing e especialização em gerenciamento de projetos, além de coach é empresário e palestrante. Para ele, todos são capazes: “O homem tem potencial ilimitado. Mas porque uns vão e outros não? Porque alguns descobrem seus talentos e colocam o foco em seus objetivos, estabelecendo metas específicas, mensuráveis, alcançáveis, de relevância e determinando o tempo para alcançá-las". 

Rodolfo acredita que são os problemas que tornam as pessoas mais fortes. "O homem tem quatro dimensões que norteiam suas vidas: mental, emocional, espiritual e física. Esta última são os bens materiais que possui. “Se os três primeiros não vão bem, o último também não vai bem. Muita gente não sabe porque ganha dinheiro e o dinheiro some, simplesmente porque não está bem mental, emocional e espiritualmente.”

Sua fórmula para o sucesso é simples: Conexão + Colaboração é igual a Oportunidades, lembrando que o mundo está na internet e incentivando que todos criem seu próprio site: “Em seu site você é o dono, no facebook, youtube, instagram, entre outros, você é um mero inquilino”, afirma.

5° Prêmio NutriGEN

Esta edição do Prêmio NutriGEN de 2016 contou com 11 participantes estudantes e quatro participantes profissionais. A faculdade que mais apresentou trabalhos foi a Escola de Nutrição da Unirio.

Entrega do prêmio NutriGEN 2016 -  Categoria profissional

O prêmio de R$ 2.000,00 da categoria profissional foi para Ana Clara Marques Nolasco, Julia Medeiros Ramalho e Renata Borchetta Fernandes Fonseca, que desenvolveram o trabalho "Análise da Logística de Recebimento e Armazenamento de Insumos Referente aos Cardápios Oferecidos em uma Empresa de Serviço Offshore".

Entrega do prêmio NutriGEN 2016 -  Categoria estudante

O prêmio de R$ 500,00 da categoria estudante foi para Caroline de Araújo Batista e Renata Barreto Duarte Faria, com o trabalho "Comparação de Parâmetros Antropométricos em uma Enfermaria Cirúrgica para Pacientes Idosos".


Além disso, o evento contou com a tradicional exposição de produtos e serviços com o que tem de melhor no mercado da Nutrição e Gastronomia.

Exposição de produtos e serviços

O Grupo Executivo de Nutrição agradece à Comissão Avaliadora do 5º Prêmio NutriGEN: Ana Maria Mendes Monteiro Wandelli, Anderson Junger Teodoro, Elka do Couto Coelho Carvalho, Haydée Serrão Lanzelotti, Leila Leão, Luiz Cláudio Cameron, Maria Cristina de Jesus Freitas, Nelzir Trindade Reis, Paulo Sergio Marcellinie, Susana Padrão, e a todos os fornecedores que possibilitaram a realização do evento em um ano tão difícil para a economia brasileira. 

Grupo Executivo de Nutrição - GEN


São eles: Fazenda Verde (patrocinador diamante), Aberc/Fenerc (patrocinador ouro), LC Refeições, Super Suco, Plastlab, Gomes da Costa, Life-Pel, Principado Louças, Alimentação Legal, Fercilac, Peixaria Só Peixe, RGS Soluções em Sucos, Delícias do Forno, RioClaro Alimentos, Grill Oriental, Browniversitário, Rio Quality Alimentos, Primus Alimentos e Planeta Orgânico.


Leitura do Mês

Distúrbios Da Deglutição: Receitas E Viscosidades



O livro apresenta os fundamentos da abordagem dietética em um formato que valoriza a exploração de exemplos práticos sobre o como fazer. Desse modo, estudantes e nutricionistas, além de profissionais de outras carreiras da área de saúde, irão se beneficiar desta fonte de consulta com forte apelo didático. 

A escolha adequada dos ingredientes, a indicação da técnica de pré-preparo e preparo e o detalhamento de nutrientes e energia também são apresentados de maneira a favorecer a orientação nutricional. No livro, há, ainda, o uso de fotos que ilustram a viscosidade das preparações e facilitam o entendimento do conjunto de ações para o enfrentamento das consequências da disfagia.

Sumário

1. Nutrição e Disfagia: Conceitos e Aplicações

Disfagia
Consequências da Disfagia
Sinais e Sintomas que Auxiliam no Diagnóstico Nutricional do Paciente com Disfagia
Tratamento Nutricional da Disfagia
Textura dos Alimentos
Orientações Especiais para Alimentação de Pacientes com Disfagia
Alimentos de Alto Risco para Pacientes com Disfagia
Espessantes de Alimentos

2. Preparações Salgadas

3. Preparações Doces

Bibliografia


Sobre o autor

Luciano Bruno de Carvalho Silva é graduado em Nutrição pela Unifenas (2002), tem mestrado (2004) e doutorado (2008) em Alimentos e Nutrição pela Universidade Estadual de Campinas. É professor Adjunto do Departamento de Nutrição da Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG), pesquisador colaborador do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Alimentação - NEPA/UNICAMP. É revisor de periódicos nacionais e internacionais. Foi nutricionista do Ambulatório de Otorrinolariongologia - grupo de disfagia, de 2002 a 2008. Tem experiência na área de Nutrição, com ênfase em nutrição clínica, experimental e metabolismo, tecnica dietetica, avaliação nutricional, alimentos para fins especiais e com alegação de propriedades funcionais, distúrbios da deglutição e tecnologia de alimentos. 

Onde encontrar: http://bit.ly/2dFsvj7 


A Nutrição Esportiva e a Performance do Atleta

O que pode haver em comum entre 10 mil atletas de alto nível que competem em 42 modalidades esportivas diferentes?


Foto: Matheus Vigliar

Além da acirrada disputa por medalhas na primeira edição dos Jogos Olímpicos da América do Sul, todos buscam o melhor desempenho e a superação dos seus limites. Utilizam, portanto, o máximo de energia e disciplina em treinos e para isso dependem de uma dieta especial. A equipe que não conta com o profissional de nutrição certamente sai em desvantagem, garante a nutricionista Priscila Moreira, coordenadora da área de nutrição esportiva do Ambulatório de Nutrição Clínica do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, em São Paulo. “A alimentação do atleta e seu estado nutricional influenciam diretamente em sua performance nos treinos e competições”, afirma. “Uma dieta deficiente em nutrientes e energia pode prejudicar o desempenho, além de expor o indivíduo a riscos de lesão, queda do sistema imunológico e redução da massa muscular”, alerta.

Para que a alimentação não se transforme no maior adversário do competidor, o equilíbrio é fundamental na dieta de um atleta de alto nível. De acordo com a nutricionista, assim como a deficiência, os excessos na alimentação também causam efeitos indesejáveis, como aumento de gordura corporal e consequente queda no rendimento. Mas a alimentação muda de acordo com a modalidade.

Dietas específicas

A nutricionista já atendeu atletas de diferentes modalidades, cada qual com sua dieta específica, entre eles maratonistas, ultramaratonistas, triatletas, atletas de remo, nadadores e fisiculturistas. Segundo ela, a dieta do atleta acompanha o nível de atividade física e a energia despendida no treinamento. “Um exemplo claro é a comparação de um maratonista e um levantador de peso. Enquanto um realiza uma atividade aeróbica, onde o gasto de energia é extremamente alto, o outro tem treinamento localizado e específico para força muscular. A dieta de cada um deve atender às necessidades individuais”, explica.

Ainda assim, Moreira defende uma alimentação sem grandes restrições, onde o importante é fornecer macro nutrientes (carboidratos, proteínas e gorduras) e micronutrientes (vitaminas e minerais). Dentro dessa premissa, os hábitos e preferências pessoais do atleta podem ser respeitados. “A aderência às orientações torna-se até mais fácil, sempre atendendo às necessidades nutricionais”, acredita.

Suplementos e alimentos naturais

A nutricionista é também favorável ao uso de suplementos alimentares na dieta do atleta de alto nível. “São importantes para suprir ou complementar refeições em situações onde a oferta de determinado nutriente não é suficiente ou quando espera-se uma absorção e disponibilidade diferenciadas, principalmente em treinos exaustivos, onde a demanda energética é alta e as necessidades nutricionais também”. De acordo com ela, já existem tecnologias na produção de suplementos para diferentes objetivos e com blends de proteínas, módulos de gordura e tipos de carboidratos diferenciados. Eles possibilitam ao nutricionista esportivo o ajuste ideal para cada atleta e modalidade. “Mas, antes de pensar no uso de qualquer suplemento, sempre priorizamos a reeducação alimentar do atleta”, afirma Moreira.


O planejamento alimentar do atleta de alto nível baseia-se principalmente em consumo de alimentos naturais e integrais, como frutas, vegetais, sementes e cereais, alimentos lácteos desnatados, carnes magras e ovos, mel e açúcar mascavo. A orientação é desencorajar o consumo de produtos industrializados, ricos em sódio, açúcares simples e gordura hidrogenada (gordura trans).

Treino, dedicação, alimentação

Mesmo no período de férias, com a redução do volume de treinamento, o atleta é sempre orientado a evitar excessos, o que se resume a se manter distante de alimentos gordurosos, açúcares e bebidas alcoólicas. A medida visa minimizar mudanças na composição corporal, prejuízos ao trato gastrointestinal e queda da imunidade. “O acompanhamento nutricional deve ser periódico e específico para cada fase. Independentemente dos Jogos Olímpicos, os atletas continuam em treinamento, e participam de campeonatos regionais ou competições internacionais em suas modalidades”, diz a nutricionista, que confirma: “dieta e treinamento estão lado a lado no quesito prioridade, pois o bom desempenho esportivo depende de uma nutrição ajustada à modalidade”. O aspecto nutricional, portanto, é tão fundamental quanto o treino e a dedicação. Na avaliação da equipe de nutrição do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, os atletas tendem a ser disciplinados. “Porém, poucos são bem orientados e conscientizados sobre a importância da dieta para seu desempenho. Infelizmente, no Brasil, ainda temos modalidades esportivas que não contam com uma equipe com nutricionista”, afirma Priscila Moreira.

Por Adriana Menezes

Leitura do Mês:

 A cozinha vegetariana de Astrid Pfeiffer 


Primeiro livro assinado pela nutricionista brasileira Astrid Pfeiffer, conquistou segundo lugar na mais importante premiação de literatura gastronômica do mundo, o Gourmand World Cookbooks Awards. O título concorreu com livros de cerca de 70 países e se destacou na categoria “culinária vegetariana”.

O livro apresenta receitas práticas e leves que não levam carne, mas que são ricas em sabor e benefícios para a saúde. 

A proposta, segundo a autora, é incentivar as pessoas, independente do cardápio, a aderirem, sem radicalismos, às receitas da gastronomia vegetariana. A obra apresenta 60 pratos diversificados, elaborados com muita criatividade e sabor. A ideia é que as sugestões agradem não apenas adeptos da dieta sem carne, mas também aqueles que desejam incluir opções de pratos mais saudáveis no cardápio. “Quando decidi preparar este livro, a preocupação era que as receitas fossem saudáveis, naturais e integrais. E teriam de ser úteis a todas as pessoas, inclusive às que comem carne”, explica a doutora, adepta da dieta vegetariana. 

Sobre a obra: 

O livro traz 60 apetitosas receitas veganas para tornar a sua mesa mais leve, saborosa e saudável. Preparados com ingredientes naturais e integrais, os pratos são rápidos e fáceis de fazer. Se você é vegetariano, tem algum amigo ou parente vegetariano, ou come carne mas quer melhorar a qualidade de sua alimentação, este livro é para você. Todos os pratos vêm com uma tabela de nutrientes fácil de consultar. Nenhuma receita contém lactose, e 80% delas não contêm glúten. As receitas estão divididas nas seguintes seções: 

Patês 
Pastas clássicas – leves e saborosas – para servir como antepasto de uma refeição mais encorpada ou como uma opção refrescante e nutritiva para o lanche. 

Sopas 
Combinações tradicionais revisitadas com criatividade e altas doses de proteínas e minerais para aquecer o corpo e o espírito. Sirva como entrada ou um prato principal leve. 

Saladas 
Uma seleção colorida de legumes ligeiramente cozidos ou grelhados, folhas frescas e ingredientes tipicamente brasileiros, acompanhada de um mix de molhos, para quem busca uma alimentação saudável. 

Molhos para saladas 
Deliciosamente saudáveis e inovadores, acrescentam um toque especial à salada mais humilde. O molho de manjericão pode ser usado também com massas. 

Doces e Salgados 
Sem açúcar refinado e com afeto. Delícias doces e salgadas repletas de fibras e gorduras saudáveis, para deixar o dia mais feliz. 

Receitas Funcionais 
Simples e rápidas, opções probióticas para auxiliar o funcionamento do intestino e o controle da glicemia e do colesterol. 

Chás  
Anti-inflamatórios, expectorantes, antioxidantes, calmantes e digestivos. A ceia perfeita para embalar sonhos tranquilos.

Sucos 
Ricos em vitaminas e minerais, refrescam, alimentam e energizam.


Sobre a autora: 

Nutricionista formada pela Faculdade Integradas "Espírita” em Curitiba; Pós Graduada em Nutrição Clínica Funcional pela VP Consultoria Nutricional/Divisão Ensino e Pesquisa (São Paulo); Pós Graduanda em Nutrição Esportiva Funcional pela VP Consultoria Nutricional/Divisão Ensino e Pesquisa (Curitiba); Terapeuta Nutricional pela The Health Sciences Academy (Austrália); Curso livre de Exames Laboratoriais na Avaliação e Prescrição Nutricional (Rio de Janeiro); Aperfeiçoamento profissional em dietas vegetarianas e Conselheira da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB). 

Saiba mais sobre Astrid: http://www.astridpfeiffer.com.br/ 

Onde encontrar: :http://bit.ly/2coYJ4a 

NutriGEN 2016: Coach revela as novas oportunidades da Nutrição

Criatividade e inovação  serão temas da palestra de Rodolfo Santos


Por que algumas pessoas fazem sucesso e outras não? Como planejar carreiras bem sucedidas e encontrar novos nichos de mercado num mundo em constante mudança? Essas são algumas perguntas que Rodolfo Santos vai responder na 11ª edição do NutriGEN 2016. Para isso, ele vai falar sobre autoconhecimento para chegar mais longe, ciclo de sucesso e carreira (onde estou e onde quero chegar?) entre outros assuntos.

“Estou muito feliz de estar no NutriGEN 2016. Quero dividir minha experiência com o público para que possam enxergar as diversas oportunidades que o mercado oferece, mas que somente alguns aproveitam, e ajudá-los a alcançar seus objetivos com a expertise que possuem. O GEN, ao promover este encontro, mostra a força que a Nutrição tem e que não há limites para essa brilhante e importante profissão. Um espaço para trocar ideias, conectar pessoas e ampliar conhecimento faz do NutriGEN um dos protagonistas de 2016. E ser protagonista num mundo em constante mudanças dá trabalho”, afirma.

Com vasta experiência profissional, Rodolfo é Coach certificado internacionalmente pela SBCoaching, especialista em Programação Neurolinguística (PNL), Treinamentos de Liderança, Equipes de Alta Performance, Gestão de Conflitos, Criatividade e Inovação, e Diretor da maior instituição de networking do mundo - BNI (Business Networking International) no Rio de Janeiro e vice-presidente (Empreendedorismo) na Câmara de Comércio Brasil – Cuba.

Ele também criou o workshop Mulheres que Transformam Mais, que visa treinar mulheres para se tornarem protagonistas das próprias vidas, e conta com o top maquiador Fernando Torquatto - seu sócio no espaço de belezaBlink by Torquatto- como um dos palestrantes. Rodolfo é responsável pela supervisão da área de maquiagem/cabelo dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro e atuou como Gestor de Pessoas na Rede Globo por 13 anos, e foi um dos fundadores do grupo de Inovação da Globo em 2010, contribuindo com iniciativas que se transformaram em produtos.